Pular para o conteúdo

Na Rota das Colheitas Na Rota das Colheitas

Facebook  Flickr  Issuu  YouTube

                       

                

FICHA TÉCNICA

Conceção geral, design gráfico e execução técnica
Unidade de Inovação e Conhecimento, Unidade de Sistemas de Informação
 
Edição e manutenção
Serviços do Município de Vila Verde
 
Agradece-se a comunicação de qualquer anomalia técnica ou outro tipo de dificuldade relacionada com a utilização do site. Para o efeito, envie email para helpdesk@cm-vilaverde.pt.
Este projeto foi cofinanciado pelo projeto Cávado Digital MAIS (POVT)

PROTEÇÃO DE DADOS

Apenas deve fornecer os dados pessoais necessários para a prestação do serviço solicitado, nomeadamente para ser capaz de aceder a qualquer um dos serviços no sítio que possuam gestão de processos especificos dependentes do utilizador.
Estes dados serão incorporados nos arquivos correspondentes no Município de Vila Verde e serão tratados em conformidade com o regulamento estabelecido por lei.
Os dados recolhidos apenas serão objeto de transferência, sempre que apropriado, com o consentimento da pessoa em questão ou em conformidade com a referida legislação de protecção de dados.
As pessoas cujos dados pessoais, contidos nos ficheiros do Município de Vila Verde, podem exercer os seus direitos de acesso, rectificação, cancelamento e oposição, na forma prevista pela lei, antes do envio para o arquivo.

AVISO LEGAL

O Município de Vila Verde, através de seu portal na Web fornece informações de interesse geral do concelho de Vila Verde, em especial, a informação e os esforços da organização municipal. A informação fornecida é atual no momento da sua publicação.
O Município de Vila Verde pretende que esta informação seja exata e precisa e procede à sua atualização com a maior frequência possível, tentando evitar erros e corrigi-los, assim que os deteta. No entanto, o Município de Vila Verde não pode garantir a ausência de erros ou que o conteúdo da informação seja permanentemente atualizado.
O Município de Vila Verde pode levar a cabo a qualquer momento e sem aviso prévio, modificações, supressões ou alterações das informações publicadas ou ser capaz de alterar a configuração ou a apresentação.
O acesso ao portal da Web, bem como a utilização das informações que ele contém, são da exclusiva responsabilidade do utilizador. O Município de Vila Verde não é responsável por quaisquer danos que possam decorrer destes factos, nem pode garantir que o acesso não seja interrompido, ou que o conteúdo ou software acedido esteja livre de erros ou causa de dano.
As informações prestadas em resposta a qualquer pergunta ou pedido de informação são meramente indicativas e em nenhum caso será vinculativa para a resolução de procedimentos administrativos, que são estritamente sujeitos às normas legais ou regulamentares que sejam aplicáveis.
Os conteúdos publicados incluem links para páginas de terceiros, web sites, principalmente de outras entidades públicas, que são considerados como podendo ser de interesse para os utilizadores do Portal. O Município de Vila Verde não assume qualquer responsabilidade derivada das ligações ou do conteúdo desses links.

Notícias Notícias

Voltar

Entrevista a João Gago, vencedor da 10ª edição da Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde

O que o levou a concorrer à Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde?

- Algo semelhante ao que me conduz desde o início do meu percurso artístico, refiro-me ao despoletar de uma necessidade de confrontação do meu trabalho com uma esfera mais alargada, um público.

Compreendi que este registo não se tratava apenas de ler o meu trabalho partindo de associações pessoais (não só minhas como exteriores) ou na relação com espécies de arquétipos, mas sim um veículo de contacto com as minhas mais profundas aspirações.

 

O que o inspirou a realizar esta obra?

-No campo da psique, o fogo surge como elemento que se desmaterializa, purifica, tornando-se espírito. A ação é tida como um ritual excessivo de transgressão, frequentemente infetada por uma dúvida fundamental.

Esta ação/atuação move-se quase sempre fora da linguagem, pelo menos fora do discurso e da linguagem tal como são formalmente usados. De certa forma, o livre acesso à ação liberta o corpo do conflito.

Não se trata de reduzir uma determinada atividade artística a uma dimensão unívoca, mas sim prolongar e ultrapassar um quadro estrutural físico, integrando o acaso, o imprevisto e o aleatório.

Interessa-me o debruçar sobre a temática corporalizada potencialmente caótica e ameaçadora para o eu racional.

A obra poderá ser vista não apenas como um objeto, mas como parte de um acontecimento, exibindo um corpo físico virtual. O respetivo processo é transformador, um fenómeno ígneo. Não uma perda de matéria, mas antes uma mudança de um estado de existência.

Ao incendiar algumas pinturas, como o caso da obra em questão, o resultado deste elemento ritualista sugere impermanência e não-fixidez. Na verdade, se as cinzas simbolizam mortalidade, insinuam também um renascimento violento. Uma contradição nos termos ausência e presença.

Ao mesmo tempo a obra é propulsionada por uma outra espécie de energia, articulada numa série de tentativas em busca de uma clareza interior.

O trabalho é anárquico e esses momentos não podem ser especificados em determinado momento no tempo. Contudo reiteram de forma cíclica uma evolução intuitiva, propondo “um novo ponto de partida”.

 

Qual o sentimento de ganhar a Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde?

-Um misto de emoções que estou ainda a tentar digerir. Talvez mais adiante possa discernir melhor sobre o facto. Para já, confesso tentar desviar a mente das fórmulas para os factos e fruir o momento. Para além de gostar de chegar a novos capítulos, é sempre bom recapitular.

 

Que importância é que acha que este tipo de iniciativas tem para jovens artistas?

-Uma exposição como a Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde, ambicionará auto constituir-se como um espaço para interrogações do presente e do futuro. O facto de acontecer em Portugal, num município como o de Vila Verde, é também um exemplo de uma assinalável autonomia. Será não só um desafio a todos os jovens artistas elencados que apontam o lugar da arte na sociedade atual, mas também à própria instituição e ao seu futuro dentro das democracias contemporâneas.

O envolvimento do artista para com este tipo de meios profissionais não é apenas uma extensão coerente do seu trabalho, mas uma aproximação ao mundo real.

 

JOÃO GOMES GAGO

1991 Lisboa, Portugal

ESTUDOS

2016-18 Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto- Mestrado em Desenho e Técnicas de

Impressão

2014 Ar.co- Projecto Individual

2013-14 University of East London- Bolsa Erasmus, Fine Art

2010-13 Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa- Licenciatura em Desenho

PRÉMIOS E NOMEAÇÕES

2018 – Grande Prémio Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde

2017 – Jovens Criadores 2017, na categoria de Artes Visuais

 – Concurso Internacional de Desenho, Encontrarte Amares 2017

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

2018 – Reencenação, Galeria Monumental, Lisboa

2016 – Princípio Expansível, Galeria Monumental, Lisboa

2013 – Se me perguntarem o que vi, Teatro Carlos Alberto, Porto

 – Vermelhecer, Plaza Ribeiro Telles, Vila Franca de Xira

EXPOSIÇÕES COLECTIVAS

2018 – Specularis: Look Through, Museu Alberto Sampaio, Guimarães

 – 10ª Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde, Braga

 – GABINETE, Art Fair – Works on Paper & Fine Arts, Madrid, Espanha

 – JUSTMAD 9, Feira de Arte Contemporânea, Madrid, Espanha

2017 – Mostra Jovens Criadores 2017, Villa Glória, Mangualde, Viseu

 – Berlin-Klondyke im Soeht 7, ehem. Frauengefängnis, Berlim

 – Concurso Internacional de Desenho, Encontrarte Amares 2017, Amares

 – JUSTMAD 8, Feira de Arte Contemporânea, Madrid, Espanha

 – Pequenos Formatos, Galeria Monumental, Lisboa

 – Berlin-Klondyke, UGM Studio, Maribor, Eslovénia

 – Portfólios, Ap’art Galeria, Porto

 – D’ Après Abel Salazar, Casa-Museu Abel Salazar, Porto

2016 – Pequenos Formatos, Galeria Monumental, Lisboa

 – 90° à Sombra, Casa das Artes Mário Elias, Mértola

2015 – Pequenos Formatos, Galeria Monumental, Lisboa

 – “XS art”, Galeria Maria Lucília Cruz, Lisboa

2013 – Múltiplos de Arte, Galeria Prova de Artista, Lisboa

 – Desenhar a Poesia, Biblioteca Municipal José Saramago, Loures

 – Nas Margens da Linha, Cine-Teatro Avenida, Sala da Nora, Castelo Branco

2012 – Desafio aos Sentidos, III Exposição de Artes Plásticas, S. Martinho do Porto

 – Galerias Abertas das Belas-Artes (G.A.B-A), Faculdade de Belas-Artes da

 Universidade de Lisboa

2011 – XVII Bienal Artes Plásticas, Festa do Avante, Lisboa

RESIDENCIAS ARTÍSTICAS

2016 – RésVés, Mértola

Município de Vila Verde, 9.7.2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Bem-vindo Bem-vindo

A Internet é o principal veículo de comunicação de que as pessoas se servem, no seu dia-a-dia, em todo o mundo, tanto na sua vida pessoal como no desempenho da atividade profissional. Todas as organizações modernas têm nos seus sites uma janela aberta ao mundo e uma plataforma de comunicação e de interação com o seu público-alvo. Estaremos sempre abertos à inovação e recetivos a sugestões que nos ajudem a continuar a construir um Concelho próspero onde todos gostem de viver e se realizem profissionalmente.            

 

Documentos recentes Documentos recentes